Exclusão e bullying digital: como manter crianças e adolescentes emocionalmente seguros enquanto estão em casa.

Pais e responsáveis: Plantem sementes para um movimento que substitua o cyberbullying pela cybercompaixão.

 

O distanciamento social é algo difícil para todos nós, mas é especialmente complexo para crianças e adolescentes. Para muitos deles, os amigos significam o mundo inteiro. Para entender melhor, basta pensar na última vez em que seu filho quis sair com os amigos e como ficou frustrado e aflito por não ter ido.

 

Quando se é jovem, não conviver com o grupo de amigos pode ser muito desesperador. Para a maioria dos estudantes, esse período necessário de distanciamento social e de transição para a aprendizagem em casa será bastante desafiadora.

 

Para estudantes que sofrem bullying, principalmente, e que já estavam se sentindo isolados do apoio de seus colegas na escola, isso pode ser ainda mais doloroso.

 

Quando crises como as que estamos vivendo chegam, oportunidades aparecem e o que está acontecendo em nosso mundo com o coronavírus não é exceção. Todos temos sido forçados a nos comunicar, reunir e conectar mais virtualmente durante esse período. E esta é uma ótima chance para ensinar melhor os jovens a respeito de cidadania digital começando com o nosso exemplo.

 

É hora de mostrar aos nossos filhos uma maneira totalmente nova de olhar para a internet. É uma oportunidade para plantar as sementes de um movimento que substitui o cyberbullying pela cybercompaixão.

 

 

Veja abaixo algumas sugestões de como você e seu filho podem colaborar sendo embaixadores dessa mudança:

 

  • Incentive a ajudar: Converse com seu filho descobrindo três maneiras pelas quais ele pode usar mensagens de texto, sejam pelo Snapchat, Instagram, Twitter ou outras mídias sociais para se conectar com alguém da escola que luta para fazer parte do grupo, ajudando para que se sintam incluídos.

 

  • Encoraje a interagir positivamente: Peça ao seu filho que inicie uma rede de encorajamento enviando mensagens positivas ou inspiradoras uma vez por dia para o maior número possível de colegas de classe.

 

  • Estimule a comunicação com boas amizades: Se o seu filho sofre bullying ou é excluído na escola, ajude-o a entrar em contato com primos, vizinhos, filhos de seus colegas de trabalho da mesma idade, e incentive a interação regular além de atividades criativas que possam compartilhar online.

 

  • Crie oportunidades: Se você tem crianças pequenas, organize “brincadeiras virtuais”, que possam incluir a reprodução de “vídeos”, jogos de palavras e outras atividades ao vivo pelas mídias sociais etc.

 

  • Desperte novas possibilidades: Se o seu filho se sentir particularmente isolado durante esse período, acesse com ele a Internet e procure comunidades e fóruns online para jovens que tenham interesses em comum, seja através de música, jogos, teatro, redação, fã clubes, o que quer que estimule e envolva seu filho. Não esqueça de pesquisar e avaliar os grupos online em que seu filho deseja ingressar antes de dar sua permissão.

 

 

Tudo vai passar! Enquanto isso, ajude seu filho a se sentir conectado aos colegas da maneira que puder. Eles dependem de você para isso e, juntos, certamente conseguirão!

 

 

Foto Verizon –  Por Jodee Blanco.

 

Compartilhe
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Telegram

Compartilhar:

Artigos relacionados

7 de abril de 2024
Abrir bate-papo
Olá! Como podemos ajudá-lo?